Soluções ATCC - Sars-CoV-2


Soluções ATCC para o estudo e desenvolvimento do Sars-CoV-2

O SARS-CoV-2, o vírus que causa a COVID-19, foi identificado inicialmente na cidade chinesa de Wuhan em dezembro de 2019 e infectou rapidamente milhões de pessoas desde então. Rotulado como uma pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em março de 2020, a COVID-19 já se espalhou para 187 países e regiões, com mais de 3,68 milhões de casos confirmados da infecção. Segundo estimativas atuais, os EUA são o país mais afetado, com mais de 1,2 milhão de casos da doença, seguidos por mais de 219 mil na Espanha. A pandemia paralisou as atividades sociais e econômicas em todo o mundo, com muitos governos e estados impondo medidas que variam do distanciamento social ao bloqueio total para mitigar a natureza generalizada e agressiva da COVID-19. Com a ameaça da pandemia pelo novo Coronavírus, o mundo inteiro se mobilizou, seja no âmbito da saúde, economia, ciência e tecnologia. Diversas empresas têm realizado pesquisas para desenvolvimento de métodos eficientes de detecção do vírus, vacinas contra o Sars-CoV-2 e remédios para o tratamento da COVID-19. Dentro deste contexto, diversas estratégias estão sendo implementadas para alcançar os objetivos.

Uma das principais estratégias que têm sido usadas por diversas empresas (Azidus Brasil, Celltex, Hope Biosciences, apenas como exemplos) é a abordagem da terapia celular, principalmente para o tratamento da fase aguda e mais severa da doença respiratória. O principal fator que impulsiona o desenvolvimento das terapias baseadas em células é a natureza dos candidatos na limitação do vírus que causa a COVID-19, removendo as células infectadas e mitigando doenças respiratórias graves induzidas pela COVID-19. Uma breve listagem dos tipos celulares que têm sido testados: Dental pulp-derived Mesenchymal Stem Cells (MSC) Autologous Adipose-Tissue Derived (MSC) Allogeneic, adipose-derived (MSC) Bone marrow-derived allogeneic (MSC) Placenta-derived, mesenchymal-like adherent stromal cells Umbilical cord-derived Wharton's Jelly-(MSC) Allogeneic, natural killer cells (NKC) Antibody-targeted (NKC) Virus-specific T-cells Adult bone marrow-derived stem cells Allogeneic cardiosphere-derived cells Diversas empresas ao redor do mundo têm feito testes para o combate do Sars-CoV-2/COVID19 usando as células mencionadas acima. A ATCC possui em seu portfólio material que pode facilitar todos estes tipos de pesquisa, e muito mais.

Como em emergências de saúde pública anteriores, como Zika, SARS, MERS e a pandemia do H1N1 de 2009, a ATCC está pronta para fazer parceria com os cientistas dedicados que trabalham para prevenir e conter esse surto devastador. Somente através dos esforços combinados da comunidade científica global podemos descobrir as ferramentas e os tratamentos necessários para manter a humanidade saudável e segura. Veja nossos recursos abaixo para descobrir como podemos apoiar seu trabalho no desenvolvimento de novos diagnósticos e terapêuticas eficazes. Materiais de Referência de SARS-CoV-2 2019-nCoV/USA-WA1/2020

Os materiais de referência clinicamente relevantes são um componente essencial da pesquisa básica e do desenvolvimento diagnóstico. É por isso que a ATCC tornou prioritário o fornecimento de preparações inativadas por calor (ATCC® VR-1986HK ™) e RNA genômico (ATCC® VR-1986D ™) de uma cepa recentemente obtida de um paciente infectado no estado de Washington (2019-nCoV / EUA-WA1 / 2020). Essa cepa é totalmente sequenciada e serve como material de referência SARS-CoV-2 para os Estados Unidos. Consulte o recente ensaio Abbot RealTime SARS-CoV-2 aprovado pela FDA para obter um exemplo de como a preparação de RNA genômico pode suportar seu teste crítico de limite de detecção.

https://www.atcc.org/Global/Products/VR-1986D.aspx https://www.atcc.org/Global/Products/VR-1986HK.aspx 2019-nCoV/Hong Kong/VM20001061/2020 Agora também oferecemos RNA genômico preparado a partir de uma cepa isolada de aspirado nasofaríngeo e esfregaço de garganta de um paciente infectado em Hong Kong (2019-nCoV / Hong Kong / VM20001061 / 2020).

https://www.atcc.org/Global/Products/VR-1991D.aspx#

Padrões Moleculares Sintéticos para SARS-CoV-2

Como a dinâmica de transmissão e a natureza patogênica do SARS-CoV-2 ainda não são totalmente conhecidas deve-se tomar o máximo cuidado ao manusear o vírus. As diretrizes atuais do CDC recomendam que o vírus seja tratado apenas em instalações de nível 3 de biossegurança (NB3). Embora esses requisitos rigorosos de contenção garantam a segurança dos trabalhadores do laboratório, tornou desafiador o desenvolvimento de novos métodos de detecção baseados em moléculas.

Para resolver isso, a ATCC desenvolveu três padrões moleculares sintéticos quantitativos para uso como controle no desenvolvimento de ensaios moleculares projetados para detectar e quantificar SARS-CoV-2. Como esses padrões são derivados sinteticamente, eles eliminam a necessidade de cultivar vírus em laboratório e são seguros para uso em condições de nível 1 de biossegurança. A partir de agora, o VR-3276SD ™ substituirá o VR-3276T ™ em nosso catálogo.O VR-3276SD ™ é idêntico ao VR-3276T ™ na construção e sequência.O VR-3276SD ™ difere do VR-3276T ™ apenas na designação operacional. Enquanto o VR-3267T ™ é um produto fabricado na ISO 9001, o VR-3276SD ™ é fabricado sob as diretrizes da ISO 13485 e, portanto, é adequado para uma ampla gama de usos.

Esses construtos foram desenvolvidos sob a orientação ISO 13485 e compreendem fragmentos representando diferentes regiões do genoma da SARS-CoV-2. Além disso, o construto 1 de SARS-CoV-2 é compatível com o iniciador de RT-PCR em tempo real direcionado a nucleocapsídeo e os conjuntos de sondas desenvolvidos pelo CDC.

ATCC® No. - VR-3276SD™ Description Quantitative Synthetic SARS-CoV-2 RNA containing portions of ORF1ab, N, E, RdRp, and ORF1b-nsp14 genes

 

ATCC® No. - VR-3277SD™

Description

Quantitative Synthetic SARS-CoV-2 RNA: containing a portion of Spike 5’ end gene.

 

ATCC® No. - VR-3278SD™

Description

Quantitative Synthetic SARS-CoV-2 RNA: containing a portion of Spike 3’ end gene.